468x60

Incluindo-me em uma sociedade não real: a minha.

Pessoas.

terça-feira, 15 de junho de 2010
Eu tenho sorte por conhecer pessoas incríveis, em que eu ouso chamar de minhas.  Sim, minhas. As minhas pessoas. De tudo que eu já vivi, já tive nessa vida, de tudo pelo que eu passei o que eu mais gostei foi das minhas pessoas.
Elas surgem dos lugares mais inimagináveis e entram na minha vida de uma maneira surreal, só muda o grau da surrealidade. E vão contra todas as minhas expectativas - pelo meu forte defeito de sempre julgar alguém antes de conhecer - elas sempre me supreendem ou de uma maneira boa ou ruim. Não importa, elas me surpreendem. Usar a palavra "diferenças" nunca soou tão "encaixável" em um pequeno texto em um blog totalmente despreocupado com as preocupações. São essas diferenças que encontramos nas pessoas que passam pelas nossas vidas que formamos cada pontinha de nós. Desde sua mãe até o caixa do super mercado; todos fazem parte de você. O que seria de você sem essas pessoas?
Não soa atraente saber que não há ninguém igual a você? As diferenças das pessoas pode parecer tão desimportante que ao mesmo tempo é o que faz a mágica de só você ser você existir em nós.
Aprendemos desde o mínimo com as pessoas. Ai, como eu amo as pessoas. As minhas pessoas.
Todos que passam por minha vida constroem um pouco de mim. Há, claro, aqueles que me atraio mais, mas nada tira o fato que o mendigo, que mora na esquina da minha casa, que  todo dia vem  me cumprimentar também não faça parte do pouco que eu sou. Sem ele eu não ia conseguir entender o que é realmente miséria e como no fundo eu sou feliz nessa minha vidinha boa-desinteressante-confortável.
As minhas pessoas são todas que algum dia já receberam ou um sorriso ou um olhar de reprovação meu. Não me importa agora de quem eu sou emocionalmente compátivel ou não, não é disso que estou falando. Estou falando das minhas pessoas no metafísico. Todas são minhas; todas são eu de uma certa forma; todas as pessoas que passam pela minha vida deixaram um pedaço delas em mim para que no futuro eu possa olhar para trás e ver que o pouco que eu sou é alguma coisa.
Graças às minhas pessoas - que ouso dizer que são os maiores e mais atraentes mistérios da natureza a serem desvendados.

3 pitaco(s).:

  1. Sofia disse...:

    uaaaaaaaaaaal =O adoreiiiii panichi, ficou demais seu post !!!!! parabéns amiga talentosa :)

  1. Teia de Textos disse...:

    Concordo. Aliás, vc é minha pessoa, sabia???

  1. Marina disse...:

    sério, como vc consegue?! seus textos são complexos demais pra minha cabeça auheauehauheuae
    ficou muuito bom lê, poste sempre que eu adoro ler o que vc escreve :)

Postar um comentário