468x60

Incluindo-me em uma sociedade não real: a minha.

31 de Dezembro: o dia que esperamos.

sábado, 1 de janeiro de 2011
Se eu tivesse que escolher agora o dia mais importante do ano dentro de todos os trezentos e sessenta e cinco dias que um ano suporta, até trezentos e sessenta e seis, dependendo se for bissexto, eu com certeza não iria escolher o Natal, fugindo então de qualquer ideologia cristã, e muito menos o meu aniversário, não seguindo aquela linha egocêntrica, mas eu escolheria, sem pensar duas vezes, o dia 31 de Dezembro.
Às vezes todos nós, seres humanos, independente da cultura que pertencemos ou da religião que seguimos, não interessando se somos núbios ou indo-europeus, se vemos o sol nascer ou ele se pôr, esquecemos o porquê de vivermos, o porquê de continuarmos lutando por nossas vontades e pelo nosso sucesso. Todos nós esquecemos. Esquecemos que esse porquê de tudo é a esperança que carregamos em nossos peitos ou até mesmo nas costas, não importa se você a vê com orgulho ou como peso.
A esperança nos faz dominar o mundo todo e sua metafísica; nos abre caminhos, mares e destinos; nos faz esquecer dos medos em nossos olhos e nos faz sorrir com o coração. Mas parece que as pessoas esquecem desse sentimento: o de querer e o do poder - a nossa fé. Só que no dia 31 de Dezembro tudo é diferente, nós realmente cremos e esperamos algo. Por isso gosto tanto dessa data, ela é mágica e interessante.
As pessoas acreditam em uma alegria igual a um voo de pássaro que só está esperando para começar. O universo começa a se movimentar em constante renovação, a natureza muda a cada instante como se estivessem conspirando a favor das forças positivas que se encontram em cada lacuna do nosso espírito. É como se acreditássemos fielmente que todos os nossos sonhos não realizados até então vão finalmente se concretizar. As tempestades da vida desaparecem por segundos quando os fogos de artifício e os gritos anunciam que o novo ano está presente.
Fechamos os olhos e entrelaçamos as mãos e os sentimentos apenas para pedir que coisas boas aconteçam nesse ano; colocamos a nossa fé, sempre esquecida nos outros dias, nas mãos de forças superiores. De repente, os olhos e os sorrisos se cruzam com os das pessoas presentes, não importa se for família ou amigos, não importa com quem estamos dividindo esse momento, e em um abraço caloroso só um pensamento surge: o de paz. E no dia 31 de Dezembro assumimos o nosso medo. O medo do futuro.
Muitas vezes, a maioria na verdade, fingimos não termos medo, fingimos não apavorarmos com o que se aproxima que é tão incerto. Apenas apertamos esse medo para dentro de nós e ficamos o segurando tanto que ele acaba nem se manifestando na nossa rotina, como se fosse nulo. Ele perde lugar para outros sentimentos, os de indiferença e desinteresse. Não gostamos de assumir que temos medo de que o que esperamos não se realize, mesmo que no fundo isso esteja gritando e latejando. Mas no dia 31 de Dezembro a indiferença e o desinteresse somem junto com a mágoa, o rancor, o ódio e a tristeza e dão espaço para a esperança. A esperança de sermos livres pra conseguirmos realizar tudo que queremos nesse ano que nos espera.
Todas as pessoas se sentem dessa maneira, todas mesmo. Não importa a origem, a língua, a cultura, a nação, a religião, a cor, a classe social ou os problemas e o desejos que cada um carrega. Todos os seres humanos lembram-se de apenas uma palavra: esperança.
E é por isso que eu amo essa data, gosto de ver as pessoas lembrando o porquê de estarmos aqui e o porquê de vivermos. Gosto de ver as pessoas esperando que a felicidade chegue à elas, não importa do que a felicidade de cada um é feita, se é com meios materiais, meios físicos ou até espirituais. Então, se algum dia você me perguntar qual é o dia mais importante do ano, já sabe a resposta.
Um feliz ano novo meu para você e para toda sua família e amigos. Que os sonhos de todos finalmente adentrem suas casas e seus corações e nunca, mas nunca mesmo, se esqueça de crer e esperar pelo melhor. Não apenas no Ano Novo, mas como em todos os dias de sua intensa vida.

2 pitaco(s).:

  1. Lorena MM disse...:

    Adorei!! Continue escrevendo bem e não se esqueça do nosso combinado!! =*

  1. Sônia disse...:

    Nossa! Nunca li algo tão intenso referente ao dia 31/12. Eu nasci nesse dia, e lamento um pouco pelo fato de não poder juntar todas as pessoas que gosto para comemorar tanto o meu aniversário como o reveillon.Mas depois desse post passarei ter mais orgulho por ter nascido nesse dia. Parabéns pelo blog e pelo post. Aproveito para desejar a vc um Feliz 2011!
    Abraços.
    *Sônia*

Postar um comentário